• Demétrio Weber

SP ganha política de prevenção ao abandono

Atualizado: Jun 9



A cidade de São Paulo acaba de ganhar uma política de prevenção ao abandono e à evasão escolar, iniciativa mais do que necessária em meio à pandemia de covid-19. Uma lei nesse sentido foi sancionada nesta terça-feira (8) pelo prefeito Ricardo Nunes.


Confira mais informações abaixo, no texto que me foi enviado pela competentíssima jornalista Regina Terraz, que presta assessoria para a vereadora Cris Monteiro (Novo), autora do projeto que virou lei.


* * *


Projeto que cria Política Municipal de Prevenção ao Abandono e Evasão Escolar é sancionado em SP


O prefeito Ricardo Nunes sancionou nesta terça-feira (08/06) o projeto de lei da vereadora paulistana Cris Monteiro (Novo) que cria a Política Municipal de Prevenção ao Abandono e Evasão Escolar de São Paulo. Estreante na Câmara Municipal, este é o primeiro projeto de lei de autoria da vereadora a virar lei. Nesta tarde, o prefeito realizou um ato simbólico de assinatura da nova lei com a presença da vereadora, na Prefeitura de São Paulo.


Antes mesmo da pandemia, Cris Monteiro já se preocupava com o tema. E com a interrupção presencial das aulas e a crise econômica gerada pela contaminação da Covid-19, o assunto tornou-se ainda mais urgente. Estudo nacional da Unicef mostra que o abandono e a evasão escolar subiram de 2% para 9,2% no Estado de SP na comparação entre 2019 e 2020 na faixa estudantil de 6 a 17 anos. "O impacto que a evasão escolar causa é tremendo. Precisamos barrar essa exclusão agora. Caso contrário teremos várias gerações de alunos impactadas", afirma Cris Monteiro.


No projeto, a vereadora propõe ações para deixar as aulas mais atrativas aos alunos e aumentar a frequência à escola como, por exemplo, maior uso da tecnologia na sala de aula. Outra ideia é utilizar a inteligência artificial para criar mensagens SMS de incentivo aos alunos e de acompanhamento das atividades, os nudgebots. Com base nas respostas ou na falta delas, é possível observar o comportamento dos alunos e pensar em estratégias de engajamento. O PL propõe ainda visitas aos alunos que abandonaram a escola ou estão prestes a deixar de frequenta-la para verificar os motivos da evasão.


O PL propõe também uma versão moderna de acompanhamento vocacional dos alunos, chamado no texto de "Projeto de Vida". O objetivo é que os professores ajudem os estudantes a identificar suas aspirações, interesses e metas e também conheçam as possibilidades profissionais e de estudo disponíveis após a conclusão do ensino básico.

"Queremos que a escola se interesse pelo futuro do aluno e esteja mais próximo dele, ajudando-o a planejar sua carreira. Também queremos que as famílias sigam mais de perto as atividades escolares dos estudantes e de seus planos para o futuro", diz a vereadora.


(Texto divulgado pela jornalista Regina Terraz)