• Demétrio Weber

SP anuncia volta às aulas em 8 de setembro


Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O governo do estado de São Paulo anunciou ontem (24) a intenção de que as aulas presenciais sejam retomadas nas redes públicas e particular, a partir do próximo dia 8 de setembro. A proposta vale para todos os níveis de ensino: da creche ao ensino superior. A ideia é voltar de maneira escalonada, limitando o número de alunos a 35% por sala, num primeiro momento. Depois, 70% e, por fim, 100%.

A proposta está atrelada à evolução da pandemia de covid-19. Para efetivar o plano, será preciso que todas as regiões do estado permaneçam pelo menos 28 dias consecutivos na fase amarela de flexibilização da quarentena − a terceira na escala de cinco etapas de restrições. Atualmente, nenhuma região está nessa fase (todas se encontram nas fases vermelha e laranja, as mais restritivas).

Os alunos estudarão em sistema de rodízio, devendo comparecer à escola pelo menos um dia por semana. No restante da semana, continuarão realizando atividades remotas.

Prefeituras e a rede particular terão autonomia para definir estratégias de retorno. Poderão, por exemplo, estabelecer prioridades, determinando que as turmas de uma etapa recomecem antes das demais. O governo estadual ainda detalhará os procedimentos de retomada das aulas presenciais.

"Especialmente após a pandemia, a educação será ainda mais importante em todas as suas dimensões, do ensino infantil ao superior e complementar. Por isso, o plano de retorno é tão importante, com segurança e dentro do que é estabelecido pelas autoridades de saúde”, declarou o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.

Ele participou do anúncio por videoconferência, pois está em casa, recuperando-se da covid-19, após internação hospitalar em que precisou de atendimento na unidade de terapia intensiva (UTI).

Evolução

Para que até 70% de estudantes por sala possam frequentar as escolas, o plano exige que pelo menos 10 dos 17 departamentos regionais de saúde do estado completem 14 dias consecutivos na fase verde, a quarta menos restritiva. Quando 13 departamentos regionais estiverem nessa situação, o percentual de alunos por sala poderá alcançar 100%.

Se houver piora nos indicadores da pandemia e um departamento regional retornar às fases vermelha e laranja, as aulas serão suspensas em todos os municípios daquela região.

O protocolo de segurança elaborado pelo governo estadual "prevê o distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas, inclusive na sala de aula, com exceção da educação infantil; recreios e intervalos com revezamento das turmas em horários alternados; horários de entrada e saída escalonados para evitar aglomerações; veto a feiras, palestras, seminários e competições esportivas".

Será obrigatório o uso de máscaras dentro das escolas, assim como em ônibus e vans do transporte escolar. Bebedouros coletivos deverão ser substituídos pelo consumo de água em recipientes individuais.

O estado de São Paulo tem 12,3 milhões de estudantes e 1 milhão de professores na educação básica (infantil, ensino fundamental e ensino médio) e no ensino superior. Sindicatos de professores já expressaram preocupação com a retomada das aulas em meio à pandemia, devido aos riscos de disseminação da covid-19, e começam a discutir a possibilidade de greve.

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por Educa 2022. Os textos do portal Educa 2022 podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte "Educa 2022".