• Demétrio Weber

SP adia reabertura de escolas para outubro


Rossieli e Doria (dir.) anunciam adiamento da volta às aulas. Foto: Divulgação.

A reabertura das escolas públicas e particulares no estado de São Paulo, prevista para 8 de setembro, foi adiada para o próximo dia 7 de outubro. O anúncio foi feito na última sexta-feira (7) pelo governador João Doria e pelo secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.


O motivo é que nem todas as regiões do estado conseguirão cumprir as metas de controle da pandemia de covid-19 no prazo originalmente estabelecido pelo plano de retomada das aulas.


Escolas localizadas em regiões que já tenham cumprido a meta, contudo, poderão oferecer aulas presenciais de reforço e de recuperação a partir de 8 de setembro. Para isso, deverão respeitar os limites quanto ao número de estudantes atendidos: máximo de 35% dos alunos na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental e de 20% nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio.


“A volta gradual e responsável das atividades escolares é fundamental, principalmente para as crianças das camadas mais desfavorecidas da sociedade. O retorno é importante não somente pelo aspecto educacional, mas também pela questão social e da segurança alimentar”, afirmou Doria.

Plano


O plano de retomada exige que todas as regiões do estado estejam há pelo menos 28 dias na chamada fase amarela, a terceira na escala de liberação das atividades em face da pandemia quando isso ocorrer, as escolas serão reabertas em sistema de rodízio, podendo atender até 35% dos estudantes por dia.

Atualmente, segundo o governo paulista, 86% da população já se encontra em áreas na fase amarela. Mas, como há regiões ainda na fase vermelha (a mais grave), não será possível que todas atinjam a fase amarela a tempo de cumprir o prazo de 28 dias nessa situação.

“Proteger vidas, cuidar dos nossos estudantes e profissionais é a coisa mais importante que precisamos fazer nesse tempo de pandemia. Essa tem que ser a premissa fundamental que tem nos guiado e vai continuar nos guiando”, disse o secretário Rossieli, que contraiu a covid-19 e chegou a ser internado numa UTI, antes de se recuperar da doença.

Máscaras


Em nota, a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo esclareceu o que poderá ser feito nas escolas, a partir de 8 de setembro: "Este período de setembro até outubro, quando deve ocorrer a provável retomada das aulas, deverá ser aproveitado pelas escolas que optarem pela reabertura para atividades como plantão de dúvidas, atividades esportivas, tutoria, aulas em laboratórios de informática e ciências, entre outras ações ligadas ao reforço e recuperação do que já foi ministrado. Novos conteúdos curriculares só poderão ser aplicados a partir do dia 7 de outubro."

A secretaria também divulgou o que já foi comprado para viabilizar a volta às aulas em condições de maior segurança na rede estadual: "(...) 12 milhões de máscaras de tecido, 300 mil face shields (protetor facial de acrílico), 10.168 termômetros a laser, 10 mil totens de álcool em gel, 221 mil litros de sabonete líquido, 78 milhões de copos descartáveis, 112 mil litros de álcool em gel e 100 milhões de unidades de papel toalha".

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por Educa 2022. Os textos do portal Educa 2022 podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte "Educa 2022".