• Agência Senado

Senadores desejam sucesso a novo ministro



Após o governo anunciar o professor Carlos Alberto Decotelli como ministro da Educação, na quinta-feira (25), senadores desejaram, nas redes sociais, boa sorte ao novo ocupante do cargo.


A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) afirmou que a indicação do novo ministro gera a expectativa de que finalmente a educação será comandada por um técnico e não por personagens que se dedicam a criar polêmicas. “Que a experiência do ministro não seja tolhida por setores do governo”, destacou Eliziane.


O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse esperar que Decotelli opte por "caminhos melhores" que os de seu antecessor, o ex-ministro Abraham Weintraub. Segundo Randolfe, isso “não será difícil”. O senador afirmou que a hora é de fortalecer a pasta, de fazer a renovação do Fundeb (fundo de financiamento da educação básica) e de respeitar a ciência e a democracia.


Na mesma linha, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) registrou que deseja um bom trabalho ao novo ministro. Izalci afirmou que, como vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação, está comprometido com a transformação do ensino. “Conte comigo para colocarmos a educação como prioridade nacional”, acrescentou Lucas.


O senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) também desejou sucesso ao novo ministro e pediu que ele dê atenção especial às escolas das periferias e do interior do país, “que vivem uma desestrutura física e um caos na ordem e na disciplina”.


Presidente da Comissão de Educação do Senado, o senador Dario Berger (MDB-SC) elogiou a escolha. Para o senador, Decotelli reúne “as condições técnicas, a experiência, o conhecimento e a capacidade administrativa que o cargo exige”. E completou: “Espero que esteja comprometido com o desenvolvimento da educação brasileira.”


Pandemia


Na visão do senador Plínio Valério (PSDB-AM), a educação e o conhecimento são “nossas melhores armas para inclusão de crianças e jovens na reconstrução do país, sem disputas ideológicas”. Ele desejou os "melhores votos de sucesso" a Decotelli na reconstrução da educação pós-pandemia.


Também pelo Twitter, o senador Flávio Arns (Rede-PR) desejou “êxito na condução da pasta”. Ele definiu a educação como um “instrumento transformador que, após a pandemia, terá um papel fundamental no desenvolvimento do país”.


Notebooks


O senador Humberto Costa (PT-RS) usou sua conta no Twitter para destacar uma nota da revista Época on-line. Segundo a nota, o novo ministro da Educação deu aval a uma licitação suspeita, na época em que ocupava a presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Pelo processo, uma escola pública em Minas Gerais receberia 118 notebooks por aluno. A licitação, no valor de R$ 3 bilhões, foi suspensa após alerta da Controladoria-Geral da União (CGU).


Currículo


Oficial da reserva da Marinha, Carlos Alberto Decotelli tem 67 anos e é formado em ciências econômicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Tem mestrado em administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e doutorado, também em administração, pela Universidade de Rosário, na Argentina. Decotelli fez pós-doutorado pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha, e foi presidente do FNDE entre fevereiro e agosto do ano passado. Ele será o primeiro ministro negro do governo de Jair Bolsonaro.

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 por Educa 2022. Os textos do portal Educa 2022 podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte "Educa 2022".