• Paulo Pinheiro

Salas simultâneas: um recurso essencial



Para mim, é muito importante que os alunos sejam capazes de conectar as teorias que estão aprendendo em sala de aula com a prática. Quando você conecta o que está acontecendo no mundo real com o que você está ensinando, isso apenas torna o conteúdo mais relevante e a discussão mais animada. Mas o surgimento do modelo híbrido causado pelo novo coronavírus dificultou alguns processos. Debater parecia um pouco diferente. Até que o uso das salas simultâneas no aplicativo Zoom veio prestar um auxílio inestimável.


Eu sempre tento tornar minhas apresentações envolventes e interativas − e, com as ferramentas certas, você pode tornar o mundo virtual tão envolvente, se não mais. Por exemplo, eu uso ativamente a função de chat. Isso permite que as pessoas comentem em tempo real enquanto estou falando. Então, posso envolver esses participantes em uma discussão. Por exemplo, eu poderia dizer: "Fulano de tal acaba de descrever um grande ponto sobre diferenças culturais na dinâmica de grupo, e parece que Sicrano também tem um ponto semelhante a acrescentar. Algum de vocês quer nos explicar seus pontos com um pouco mais de detalhes?"


Uma grande vantagem das configurações virtuais é que a participação pode se dar de várias formas. De fato, prestando atenção no chat, o professor frequentemente obtém pensamentos e percepções de pessoas que normalmente não costumam falar em sala de aula. Outra dica importante: vale a pena usar a função de votação em plataformas on-line no início da aula. É um ótimo aquecimento para a discussão e uma oportunidade inicial de envolver e engajar as pessoas. Mais ainda: serve para verificar se a leitura dos textos foi realmente feita.


Porém, um dos hábitos adquiridos por conta do método do caso foi sempre dividir a turma em pequenos grupos. Assim, eles poderiam fazer um pequeno debate entre si, testar as suas hipóteses e argumentações antes de se apresentar para o grande grupo. Confesso que tive certa dificuldade na adaptação desse detalhe para o mundo on-line. Até que comecei a usar o recurso de salas simultâneas na plataforma Zoom.


As salas simultâneas permitem enviar instantaneamente pequenos grupos de alunos para suas próprias salas de bate-papo virtuais para discutir um caso ou problema antes de relatar ao grupo maior. Como facilitador, você também pode ingressar nessas salas se desejar, da mesma forma que pode estar vagando pela sala durante uma aula presencial. E então, quando estiver pronto, você pode trazer todos de volta à reunião geral com um clique do mouse.


Para quem não conhece o aplicativo Zoom, as salas simultâneas permitem que o professor (ou quem for o anfitrião da reunião) crie várias sessões em uma reunião e agrupe os participantes em sessões diferentes. As salas simultâneas permitem que você divida sua reunião do Zoom em até 50 sessões separadas. O anfitrião da reunião pode dividir os participantes nessas sessões separadas de forma automática ou mesmo manualmente. Além disso, pode alternar entre as sessões a qualquer momento. Outro detalhe importante é que os participantes das salas simultâneas têm recursos completos de áudio, vídeo e compartilhamento de tela.


5 dicas para usar salas simultâneas no ensino on-line


Manter o envolvimento nas salas de aula virtuais frequentemente surge como um desafio para educadores e alunos. Felizmente, a maioria das ferramentas de ensino on-line vem com alguns meios de criar salas menores, que podem gerar uma energia enorme e trazer de volta um pouco da sensação de uma aula presencial. Aqui estão algumas dicas para usar salas simultâneas:


1 - Mantenha os grupos de discussão entre três e sete pessoas, dependendo do tempo, tarefa e aptidão dos alunos.


2 - No mínimo, reserve de cinco a sete minutos para uma sessão de descanso; esse é o menor período de tempo para que as conversas sejam significativas.


3 - Certifique-se de que suas instruções aos grupos sejam muito concisas. Explique qual é a tarefa e qual é a entrega esperada no final da sessão. Não se esqueça de dizer como a entrega será avaliada.


4 - Esteja atento à infraestrutura de tecnologia dos alunos ao decidir quais ferramentas os alunos devem usar nas salas simultâneas. Se muitos deles estiverem trabalhando com conexões mais lentas, use as ferramentas mais básicas da plataforma.


5 - Peça aos alunos para criar uma lista das dificuldades que encontraram durante a colaboração, especialmente quando você estiver usando grupos nessa estrutura pela primeira vez. Saber sobre quaisquer dificuldades técnicas ou procedimentais que os estudantes encontraram vai ajudar a melhorar a experiência para todos na próxima vez.


No final dessa experiência, percebi que − apesar do meu medo inicial − alguns de meus alunos se adaptaram bem ao modelo on-line, enquanto outros abertamente resistem. Ainda assim, todos admitem que o uso de salas simultâneas auxilia no debate com o grande grupo.


* * *

Paulo Pinheiro é doutor em comunicação social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e instrutor do método do caso, com formação na Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Professor há mais de 15 anos, lecionou na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM Sul) e na Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Sua tese de doutorado trata de algoritmos e comunicação. Como jornalista, trabalhou no ZH Digital, embrião do atual clicRBS; coordenou o setor de comunicação do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers); e foi editor de capa do portal ClicRBS e do portal Terra. É graduado em jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e bacharel em direito pela PUC-RS. Atualmente trabalha como produtor de conteúdo da 818 Game Academy.

O artigo acima é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a visão do Educa 2022.

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por Educa 2022. Os textos do portal Educa 2022 podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte "Educa 2022".