• Demétrio Weber

Mais desigualdades com a covid-19

Atualizado: Mai 16


Enquanto escolas no mundo inteiro correm para oferecer ensino remoto, uma coisa é certa: a pandemia de covid-19 vai ampliar as desigualdades na educação. Sem aulas presenciais, a exclusão digital se encarregará de deixar para trás uma multidão de crianças e adolescentes.

Pelo menos 191 países fecharam as escolas para conter o novo coronavírus, afetando 1,5 bilhão de estudantes da pré-escola à universidade, segundo a UNESCO. A mesma UNESCO estima que metade desses alunos vive em lares sem computador e que 43% não têm acesso à internet em casa.

A pandemia alargará o fosso educacional entre o mundo desenvolvido e as demais nações, especialmente a porção mais pobre do planeta − na África subsaariana, oito em cada dez estudantes não têm internet em casa. Por outro lado, a quarentena fará aumentar também as desigualdades internas de cada país.

No Brasil, dados de 2018 mostram que 20,1% da população morava em domicílios sem internet, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais do IBGE. No Sudeste, esse percentual era de 13,5%; no Nordeste, saltava para 30,8%.

Pela TV

A pressa e a falta de experiência com ensino remoto têm desafiado professores e gestores educacionais. A exclusão digital só aumenta o problema.

No Brasil, estados e municípios buscam alternativas ao ensino on-line. Seja transmitindo aulas pela televisão (Amazonas, Distrito Federal, Maranhão, Pará, Pernambuco, São Paulo) e pelo rádio (Maranhão) ou enviando materiais impressos aos alunos (Santa Catarina, prefeitura de São Paulo).

Nos Estados Unidos, o superintendente do distrito escolar de Los Angeles logo percebeu que o número de lares sem internet seria um entrave − sim, a exclusão digital está presente também na maior economia do mundo. Procurou, então, a PBS, uma rede de TV sem fins lucrativos, e deu início a um programa de teleaulas cujo modelo se espalhou pelos EUA. No Brasil, emissoras públicas têm sido parceiras das secretarias de Educação.

Com internet ou não, o ensino remoto é a saída para o fechamento de escolas na pandemia. Mas o grande esforço de promoção da equidade terá de ser feito na volta às aulas. Seja quando for.

Artigo originalmente publicado n'Os Divergentes, em 26 de abril de 2020.

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por Educa 2022. Os textos do portal Educa 2022 podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte "Educa 2022".